Regata-Lagoa_Rodrigo_de_Freitas-out-16
Especial

Vitória do Botafogo na 2ª Etapa

Remada a remada até o fim! A 2ª Regata do Campeonato Estadual de Remo do Rio de Janeiro, este domingo, na Lagoa Rodrigo de Freitas, foi decidida apenas na última prova, com a vitória do Botafogo no 8 Com Peso-Leve, a sexta em 13 disputas, uma a mais que o Flamengo. Com a conquista, o alvinegro, vencedor da 1ª Regata, amplia a vantagem na competição, com 255 pontos contra 217 do clube da Gávea. Com duas vitórias, o Vasco foi terceiro, mesma posição que ocupa no estadual (83 pontos).

“Estamos quase na metade do campeonato e começando o ano de uma forma maravilhosa”, afirmou ao site do Botafogo o Coordenador Técnico do clube, Alexandre Xoxô. “Não vou falar que foi com facilidade, mas o que prevemos acabou acontecendo. Não somos fogo de palha não, temos novos remadores surgindo também. Ano passado ainda eram juniores começando e hoje já estão se enquadrando entre os melhores seniores”, avaliou.

O dia começou com ouro e bronze do Vasco no ” target=”_blank”>Double Skiff Aspiranteico-camera3, com Flamengo em segundo e quinto e o Botafogo fora da zona de pontuação, superado pela Escola Naval (4º e 6º). A reação alvinegra veio com dobradinha no duelo contra o Flamengo no ” target=”_blank”>Dois Sem Peso-Leve S23ico-camera3. O troco rubro-negro foi imediato, com Beatriz Cardoso e Caroline Corado ganhando ouro e prata no ” target=”_blank”>Single Skiff Peso-Leve S23 Femininoico-camera3, já que o segundo lugar de Vitória Blanes, do convidado Pinheiros, de São Paulo, não afetou a pontuação.

O Botafogo passou à frente com três vitórias seguidas: ” target=”_blank”>Single Skiff Infantilico-camera3, ” target=”_blank”>Single Skiff Júnior Bico-camera3 e ” target=”_blank”>Double Skiff Júnior Aico-camera3, esta com pontuação dobrada – como as outras seis provas de categorias FISA. O Flamengo se recuperou ao vencer no ” target=”_blank”>Four Skiff Júnior Aico-camera3 e no ” target=”_blank”>Double Skiff Másterico-camera3, ambas no Feminino, reduzindo a diferença para o Botafogo a apenas dois pontos. O protagonismo dos líderes foi interrompido quando o Vasco conquistou sua segunda vitória, no Dois Com Aspirante, com Escola Naval em segundo e terceiro, Botafogo em quarto e Flamengo em quinto.

Com dobradinha no Single Skiff Infantil Feminino, seguida de Vasco e Botafogo, o rubro-negro assumiu a liderança da regata a três provas do fim, e a manteve com vitória no Double Skiff Peso-Leve Feminino, mesmo sem contar com Fabiana Beltrame, poupada devido a dores na costela. Com o segundo lugar do Botafogo, a diferença era de 12 pontos faltando duas provas com pontuação dobrada.

Foi quando a “selefogo” náutica entrou na água. Com o campeão sul-americano Uncas Tales na voga, o alvinegro venceu o Four Skiff Júnior A, e empatou em vitórias e pontos com o Flamengo graças ao segundo lugar do Vasco na prova. Na última disputa, com uma guarnição completa de remadores da Seleção Brasileira, contra três no barco rubro-negro, o Botafogo venceu o 8 Com Peso-Leve, faturando a regata e ampliando a vantagem no campeonato de 23 para 38 pontos.

A presença de tantos atletas convocados pela CBR, segundo Xoxô, confirma a consistência do trabalho alvinegro. “Conseguimos colocar o maior número de atletas na Seleção Brasileira e mostramos que os nossos remadores têm nível para representar o Brasil muito bem lá fora, coisa que não acontece há muito tempo”, afirmou o Coordenador Técnico do Botafogo.

Participando como convidados, os atletas do Pinheiros, de São Paulo, além do segundo lugar de Vitória Blanes, ficaram em quarto no Double Skiff PL Feminino, e no Four Skiff Júnior A, e em quinto no Single Skiff PL S23 Feminino e no Single Skiff Infantil.

Ao final da regata, que teve público superior às anteriores, os participantes receberam camisas da campanha “O remo quer o seu legado”, lançada pela FRERJ e os clubes em defesa de investimentos para abrigar as competições de remo e canoagem nos Jogos Olímpicos de 2016, “ao invés de construir estruturas provisórias que em nada acrescentarão para o futuro do esporte, sem contar o dispêndio de dinheiro público”.

fonte: Remo em Voga